5 Mitos Sobre Salto de Paraquedas que Você Precisa Esquecer Já!

8 0

O salto de paraquedas está na lista de desejos de muitas pessoas. Entretanto, o medo – e a falta de informação – é um dos principais fatores que fazem com que alguns adiem a ideia de viver essa experiência. A origem desse receio está, muitas vezes, em alguns mitos que existem sobre o esporte.

Por isso, a Skydive listou 5 pensamentos equivocados sobre o salto de paraquedas. Confira!

Mito 1: Quanto Maior a Altitude, Maior o Perigo

Em um salto de paraquedas, os saltos com maior altitude são também mais seguros. Além disso, os equipamentos de paraquedismo estão mais modernos e são fabricados com muita cautela e tecnologia para aumentar ainda mais a segurança do esporte.

Com uma altitude maior, o tempo de queda livre também aumenta – outra razão que faz com que os paraquedistas prefiram os saltos com essa característica, já que podem aproveitar e curtir ainda mais a vista e o salto. Ou seja, quanto mais alto, melhor!

Mito 2: Você Não Consegue Respirar Durante a Queda

Respirar durante a queda livre é perfeitamente possível, ao contrário do que diz esse mito. Sem a respiração, o paraquedista não iria ser capaz de executar os procedimentos com perfeição, como a abertura do paraquedas. Além disso, também não seria possível curtir tão bem a parte mais emocionante do salto de paraquedas, não é mesmo?

Mito 3: É Possível Conversar Durante a Queda Livre

Apesar de conseguir respirar normalmente, conversar a uma velocidade tão alta – que pode ultrapassar os 200 km por hora – só é possível em cenas de filmes. Isso porque o barulho do vento é tão alto que fica difícil conseguir escutar qualquer outro som.

Mas pode ter certeza que a queda livre será tão emocionante e divertida, que você nem vai querer conversar!

Mito 4: O Paraquedas Não Vai Abrir

Os acidentes nesse esporte são raros e bem menos comuns nos dias de hoje. Um dos motivos é o avanço da tecnologia nos equipamentos de paraquedismo, pensados para proporcionar cada vez mais segurança ao praticante.

Ao realizar um salto duplo, o paraquedista acionará o paraquedas no momento apropriado. Se houver alguma falha e o equipamento não abrir, é a vez do AAD (Dispositivo de Acionamento Automático, traduzido do inglês) trabalhar. Como o próprio nome sugere, o AAD serve para abrir automaticamente o paraquedas quando se atinge a altura apropriada.

Mesmo com toda a proteção, o instrutor carrega ainda um paraquedas reserva para garantir a segurança completa durante o salto.

Uma dica muito importante, antes de saltar, é sempre procurar uma empresa que siga os padrões de segurança da Confederação Brasileira de Paraquedismo – CBPq, como a escola de paraquedismo SkydiveFoz, para garantir que a experiência seja totalmente segura.

Mito 5: É Preciso Usar Máscara de Oxigênio

Os saltos de paraquedas mais comuns são realizados a cerca de 10 a 12 mil pés de altitude. A essa altura ainda é possível respirar normalmente, sem a ajuda das máscaras. Somente acima dos 18 mil pés é necessário utilizar oxigênio extra dentro do avião para auxiliar na respiração e evitar que os paraquedistas sofram de hipóxia – quando a concentração de oxigênio fica muito baixa nos tecidos humanos.

Portanto, em um salto convencional não há necessidade da utilização de máscaras de oxigênio.

Possui alguma outra dúvida ou sabe de outro mito sobre o salto de paraquedas? Deixe um comentário!

Imagens: SkydiveFoz

1 Comentário

  1. Cristina Lombardo Reply

    Por favor precisó da tarifa.. para uma pesoa e 5 pesoas..
    Obligada.

Deixe um comentário

*

Navegar