• pt-br
  • en
  • es

10 Modalidades de Salto de Paraquedas que Você Precisa Conhecer

2 0

O salto de paraquedas é a realização de um sonho antigo dos seres humanos desde os tempos mais remotos: voar. Essa é uma das experiências mais incríveis e indescritíveis que alguém pode ter, sentindo na pele a sensação de liberdade que o voo proporciona.

Desde a invenção do primeiro velame no século XV, muito mudou entre os equipamentos de segurança e os tipos de salto de paraquedas.

Atualmente, existem modalidades e tecnologias que permitem façanhas como o salto duplo e até mesmo a execução de manobras durante a queda livre. Pensando nisso, preparamos um post com as diferentes modalidades do salto de paraquedas, confira!

1. Salto Duplo

Esse é o tipo de salto de paraquedas mais indicado para quem deseja conhecer ou iniciar no esporte. O atleta salta conectado a um instrutor profissional, que executará todos os procedimentos necessários para uma experiência segura e inesquecível, para que o passageiro apenas curta o voo.

No salto duplo de paraquedas, a queda livre dura aproximadamente 30 segundos, seguidos de cerca de 8 minutos de navegação com o paraquedas aberto.

Uma supercuriosidade sobre o salto duplo: ele é realizado a cerca de 3 mil metros de altura, tendo uma queda em 200 km/h de velocidade! Ou seja, a sensação que você terá é a de estar voando.

Para realizar o salto, é necessário fazer apenas um pequeno treinamento – que leva, em média, 30 minutos. Garanto que será uma experiência inesquecível!

2. Formações em Queda Livre / Trabalho Relativo (TR)

As formações em queda livre requerem mais de um atleta, onde os participantes têm como objetivo formar figuras no ar usando seus corpos. As modalidades mais comuns são o 4-way, 8-way e 16-way, em que cada número corresponde à quantidade de participantes no salto.

3. Freestyle ou Estilo Livre

Comparado a um balé aéreo, o Freestyle é um salto de paraquedas executado por duas pessoas que realizam manobras no ar, como giros e posições que se assemelham à ginástica artística. A modalidade exige muito treinamento e conhecimentos técnicos.

Essa modalidade do paraquedismo exige que a/o atleta tenha bastante flexibilidade, mobilidade e criatividade para realizar os saltos.  

4. Freefly

No Freefly, o atleta pode voar de cabeça para baixo, sentado, de pé, de lado ou como a imaginação desejar. Nesse tipo de salto de paraquedas, a velocidade da queda livre pode ultrapassar os 300 km/h.

Como essa modalidade permite saltos mais ousados, para iniciar as práticas de freefly é necessário ter um curso de paraquedismo, pois nele você aprenderá a voar em posições específicas que reduzirão a velocidade do salto, garantindo ainda mais sua segurança.

O freefly tem encantado o mundo todo, graças a sua pegada mais autêntica e extraordinária na questão de manobras. Enfim, assistir a um salto freely é de encher os olhos – quem dirá saltar!

5. Skysurf

Nesse tipo de salto de paraquedas, o atleta salta com uma prancha especial para realizar giros e rotações no ar.

Essa modalidade permite que o paraquedista faça manobras ousadas com a prancha presa nos pés. Por esse motivo, a CBPq autoriza apenas atletas com mais de 500 saltos a realizarem o skysurf.

No Brasil existem poucos atletas que praticam este salto. Mas, aqui na SkydiveFoz já tivemos o privilégio de receber o campeão  brasileiro de skysurf – Thiago Minitti – e o vice campeão – Mauro But – que saltaram com a gente e mostraram suas habilidades no céu da tríplice fronteira. Confere só:

Este tipo de salto já é praticado há cerca de 30 anos, porém com poucos adeptos durante esta jornada. Mas, nos últimos anos o skysurf vem crescendo, ganhando novos praticantes e incentivo de desenvolvimento para a modalidade.

6. Trabalho Relativo de Velames (TRV)

Essa modalidade é executada já com os paraquedas acionados, onde dois ou mais atletas realizam manobras para formar figuras e coreografias com os velames, proporcionando um bonito espetáculo para quem assiste de baixo.

Uma das manobras mais conhecidas do TRV é o hooking de dois velames, um abaixo do outro.

7. Estilo e Precisão

A modalidade de Estilo e Precisão é muito utilizada em competições e consiste na execução de manobras no ar, que são avaliadas por jurados e, em seguida, o paraquedista guia seu velame para pousar o mais próximo possível de um alvo marcado no chão.

8. Grandes Formações ou Big Ways

Da mesma forma que o Trabalho Relativo (TR), o objetivo dos Big Ways também é formar figuras com a união e agrupamento dos corpos no ar. Porém, neste caso, somente é considerada grande formação saltos com mais de 30 paraquedistas.

Essa modalidade possui um alto nível de dificuldade, pois o maior número de pessoas aumenta também a dificuldade para “chegar” na formação e mantê-la no ar.  

O recorde mundial de grandes formações é um 246-Way, realizado em 1998, em Chicago.

9. Wingsuit

Nessa modalidade o atleta salta com uma roupa especial para deslocamento horizontal, onde o objetivo é percorrer a maior distância possível.

Um dos apelidos dado para quem pratica essa modalidade de paraquedismo é bird-men, devido ao traje utilizado para a atividade.

Quando estão no salto, os atletas que praticam o wingsuit chegam a atingir velocidades horizontais superiores a 200 km/h, o que contribui para que a queda vertical caia drasticamente para 30 km/h.

Isso faz com que seja prolongado ainda mais o tempo em queda livre, transformando os wingflyers em típicos super-homens.

10. Swooping (Pousos de Alta Performance)

A modalidade swooping é caracterizada por pousos de alta performance, onde o atleta deve planar o paraquedas de forma horizontal, percorrendo em alta velocidade um corredor delimitado.

O swooping é uma das modalidades mais interessantes para o público, pois a habilidade dos paraquedistas é vista ao alcance dos olhos.

Qual é a sua modalidade de salto de paraquedas preferida? Conta para a gente nos comentários!

Imagens: SkydiveFoz, Colegas na Plataforma, Pinterest, Panoramio, Shock the World, Kalay Swoop, Accumat.

Deixe um comentário

*

Navegar